terça-feira, 28 de abril de 2009

Perfume é uma questão de educação.

terça-feira, 28 de abril de 2009
Que uma pessoa cheirosa é ótimo, todo mundo sabe. Nós, mulheres, adoramos homens perfumados. Os homens, por sua vez, adoram mulheres cheirosas. E assim caminha a humanidade.

Mas perfume não é só uma questão de classe, estilo e personalidade. É também uma questão de educação.

Como bem sabemos, nada é unanimidade. E assim também é com os perfumes. Você pode achar o seu perfume delicioso de morrer, mas certamente alguém não irá gostar, e para outra pessoa ele pode ser o cheiro mais enjoativo do mundo.

Eu, por exemplo, detesto perfumes doces. Não é algo que eu escolhi. É como o meu olfato interpreta as notas dos perfumes. E ponto. Alguns perfumes são tão doces que chegam a embrulhar o meu estômago.

E, quando nosso olfato não se acerta com uma determinada fragrância, o perfume pode ser o mais caro do mundo, mas o cheiro dele será tão insuportável quanto o banheiro mais fedido da pior rodoviária.

Daí advém minha afirmação de que perfume é uma questão de educação. Todo perfume, mais concentrado ou menos, tem uma quantidade determinada a ser usado para que o cheiro fique na pele da pessoa. Só que tem gente que exagera, e por onde passa vai exalando aquele odor.

O problema é que, quando é o caso de um perfume que a gente não gosta, como eu escrevi acima, é simplesmente insuportável ficar perto da pessoa. Ao invés de achá-la cheirosa, você vai considerá-la extremamente fedida. É fato.

Aqui no meu trabalho tem duas colegas muito fúteis. Extremamente. Não contentes em passar perfume antes de vir para cá, elas trazem o vidro na bolsa e de meia em meia hora, sem exagero, elas passam novamente.

O problema é que o maldito perfume é muito, mas muito doce. Chega a arder o meu nariz. E como a nossa sala não é muito grande, aquele cheiro de baunilha se espalha por tudo.

Agora eu concluo: elas podem até se sentir bem em estar "cheirosas", mas não se preocupam se os demais estão se sentindo mal. Afinal de contas, elas acham que todo mundo gosta de ficar num ambiente infestado com cheiro de rosquinha de padaria pobre?


É ou não é falta de educação?


Em tempo: assim que possível trocarei o layout do blog, juro. É que o tempo tá escasso. Kisses.

8 comentários:

Rose Carreiro disse...

Hahahahaha eu uso perfumes doces! E tenho um com cheiro de baunilha!!!!

Mas eu sou discreta, uma borrifadinha de manhã e só (até porque ele é caro, não vou ficar esbanjando por aí assim...só qnd "saio").

Mas realmente, aturar perfume ruim (que a gente não gosta) é o fim da picada.

Beijo

Rose Carreiro disse...

Vai no meu blog que tem algo lá que eu tenho que te avisar.

Relaxa, não é nd ruim hahahahaha

Beijo

A Francesa disse...

O Grupo A Francesa atua há mais de 10 anos no mercado de perfumaria e cosméticos.

A Loja Virtual A Francesa visa levar nossos produtos a todas as partes do Brasil, com a máxima transparência e agilidade.

Acesse www.afrancesa.com.br

Yuna disse...

Eu adoro perfumes doces! Mas soh uso quando vou sair com meu namorado (e passo apenas uma vez em três pontos do corpo) soh que ele adora o meu perfume, então está tudo certo. XD

@fernandoruschel disse...

Melhor um perfume doce exagerado do que uma axila de um operario! Se quiser fazer uma experiencia, vá ao metro por volta das 17 18 horas e talvez vc entendera o que estou dizendo!

Unknown disse...

tenho uma certa alergia a alguns odores , e não tem coisa pior que abraçar pessoas que usam perfume sobre a roupa , acabamos ficando fedidos com tantas misturas , é muita falta de educação mesmo ,o tesão é chegar bem pertinho quase encostar o nariz para sentir o cheiro da gata uh....

Gabriel Resgala disse...

Alergia a perfumes doces, a pimenta.. moça, já pensou que pode ter algo chamado rinite vasomotora? Eu tenho isso, é uma hipersensibilidade a tudo o que é forte pro nariz: cheiros fortes, variação brusca do tempo, ar condicionado mal regulado... pesquisa aí. Abraço!!

Anônimo disse...

Ja perceberam que quem gosta de perfume doce é a classe media baixa?

O cheirinho cafonaaa

 
No calor do momento © 2008. Design by Pocket